Menu

06 novembro 2012

Por que eu gosto #5: Dark Blue

Tenho dito por aqui várias vezes que ando fugindo de séries. A quantidade exorbitante que eu já tenho para acompanhar me toma muito tempo e definitivamente não preciso de mais nenhuma me agoniando com seus episódios fantásticos. Já basta eu estar sofrendo pitangas gordas na espera pela terceira temporada de Game of Thrones... #VoltaMeuJoãodasNeves!

E olha que tenho negligenciado algumas outras, hein! Glee já faz tempo... Abandonei temporariamente True Blood e meu Lorão Vampiro Viking Macho Alfa, tô bem por fora da última temporada de Supernatural e ainda não vi nenhum capitulozinho sequer do segundo ano de Once Upon a Time. Pois é, com toda essa minha falta de vontade, não me resta muita coisa na TV pra apreciar.

Mas eis que o que era improvável aconteceu. Fui inventar de gostar de uma danada de uma série à la resquícios de C.S.I. e Without a Trace.

É que foi meio sem querer. Acabei chegando nela por acaso, e por achar que essa coisa policial mais simples e tranquila daria para o meu ânimo atual, topei ver. E só tem duas temporadas com dez episódios cada. A série chama-se Dark Blue e era exibida pela TNT em 2009 e 2010 até que foi cancelada.


Sinopse: 
Dark Blue gira em torno de uma equipe especial da polícia que trabalha secretamente infiltrada no mundo do crime em Los Angeles. Eles sabem melhor do que ninguém, que para derrubar um submundo do crime é preciso entrar no nível dos criminosos. 
O detetive Carter Shaw comanda essa unidade secreta de detetives, que agem disfarçados e fora dos padrões de jurisdição da polícia. Quando um de seus homens, Dean, infiltrado numa gangue local, é filmado se livrando do corpo de um agente do FBI, é cogitada a possibilidade desse policial estar mesmo mudando de lado.

Dark Blue me animou primeiramente por conta desse muído de disfarces... Poxa, eu era uma super fã de Alias, galera, então, 'tudo certo já' na hora de curtir essas histórias policiais misteriosas. Em segundo lugar, ela é leve em certo sentido, sem forçar com enredos muito complexos e lotados de milhares de personagens diferentes. Sorry, mas essas séries que vivem trazendo uma carinha nova a todo instante me cansam. E Dark Blue me ganhou simplesmente pelo clichê.

 

A série mostra a vida louca de quatro agentes da polícia de Los Angeles que trabalham em uma unidade secreta, onde através de muita pesquisa e infiltrações, conseguem chegar no encalço dos maiores criminosos da cidade. Não tem tanta ação assim, mas tem um pouco de suspense, uma aflição meio humorada que essas produções policiais têm, e no mais, em alguns episódios o enredo é relativamente fraco. Mas eu gosto. Quer saber porquê?

Porque na maior parte do tempo, é bem possível saber o que vai acontecer a seguir, mas ainda assim fico naquela curiosidade estranha de saber qual vai ser a moral do próximo episódio. Porque são poucos personagens, cheios de problemas e confusões por conciliar a vida pessoal com a do trabalho e dá pra torcer por cada um deles sem ficar paranoico.


Carter Shaw, o líder desse bando, é misterioso o suficiente pra ser chefão, e meio chato o suficiente para nem ter tanto mistério assim. Ele consegue comandar as operações com entusiasmo e cautela e praticamente, vive em prol da unidade, o que é sempre um motivo de interesse...


Ty Curtis tem essa pinta de durão e assustador, mas é o recém-casado da equipe que anda sofrendo o diabo pra dar conta de ser o marido perfeito e o agente perfeito. Não é nem um pouco fácil lidar com criminosos, bandidos das mais piores espécies durante o dia e ter de enfrentar as contas e hipotecas da casa à noite, além da mulher já estar em planos para um filho.


Jamie Allen é a mais nova recruta e foi selecionada apenas pela sua busca incessante por ação e por seu passado muito sombrio. Ela vive em contante conflito com a rede de mentiras que criou a vida inteira, que praticamente não consegue mais se desvencilhar dela. Com um nome diferente, uma história diferente, essa policial é dura na queda, mas tem fragilidades que a deixam apavorada.


Dean Bendis é o sujeito que teve uma vida perfeita, uma família perfeita, mas que ninguém sabe ao certo como ele consegue ser um policial tão barra pesada. Se envolve tão profundamente nos casos, passando tanto tempo em meio a ladrões e traficantes, que muitas vezes é fácil se perguntar se ele não mudou de lado. Leva seus disfarces tão à sério que a não ser que ele diga com todas as letras que é um policial, ninguém nunca tomará conhecimento do fato.


Alex Rice é agente do FBI que só se torna parte da turma na segunda temporada. Ela é uma policial destemida, pronta pra enfrentar qualquer coisa, e sempre tem um bate boca em todos os sentidos com o Carter. Não se sabe muito sobre a vida dela, mas a sujeita não deixa barato nos casos que pega.


Bem, a série, como eu disse, teve duas temporadas e são 20 episódios ao todo, então a moça aqui conseguiu ver tudinho em quatro, cinco dias. E gostei tanto que no final, até achei que mais uma temporadazinha não faria mal, principalmente pra dar alguns desfechos mais emocionantes para os personagens. As histórias são bem individuais, ou seja, a cada episódio, vemos um enredo completamente diferente do outro, o que ajuda a acompanhar sem ter necessariamente que ver tudo desde o comecinho.

Agora assim... Sempre têm aquelas razões mais incrivelmente interessantes pra você acompanhar uma série, né?

>> Ligando os Hormônios Efusivos em 3, 2, 1...

Porque, minha gente, vai dizer que não catava esse bofe lindo e nervoso e guardava bonitinho do fundo do armário pra ninguém tocar????


Logan Marshall-Green é o nome do infeliz e toda vez que olho pra essa carinha de bad boy sem vergonha, com essa pinta de cachorro sem dono só consigo pensar em uma única pessoa:

ZSADIST!!!!

Sim, meu amor eterno e desesperado do livro Amante Desperto da Irmandade da Adaga Negra. É muito amor, é muita sensualização pra um ser só!!! E pra quem acha que meu nível de fanatismo está exorbitante, lembrem-se bem quem foi o cidadão que venceu no meu TOP 10 de Piriguetagem Literária...

Só Jesus na causa pra amenizar os hormônios altamente efusivos!!!! 

E morram roxinhas de inveja, porque agora eu tenho um Zsadist pra chamar de meu, tsáaa?? 

E vâmo pegando logo o babador, porque com esse bofe não pode ser só restinho de post não, tem que ser um Ô lá em casa inteiro só pra ele!


E quem quiser assistir Dark Blue, a série tá passando num horário indecente no SBT, às 05h da matina das sextas-feiras. Ou então, faça que nem essa surtada aqui e cate na internet mesmo. #abafa!

Vale só pra ver o lindo do Logan sensualizando geral... Ai , ai, meu pai...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...