Menu

05 março 2013

Belo Desastre, por Jamie McGuire

Adiei essa leitura por muito tempo. Lia a primeira página e achava que era mais uma daquelas historinhas sobre a pobre e coitada menina que se mete em encrencas e vem o carinha super protetor tentar salvá-la. Pensei que seria mais um triângulo amoroso cansativo e monótono também, mas puxa... Acho que as histórias de hoje em dia estão ficando cada vez mais limitadas. Não sei se a imaginação dos autores funcionam à base do inspiracional ou do transpiracional.

Mas eis que me vejo em um fim de semana lotada de coisas da universidade para ler, uma resenha crítica para fazer e mais um montão de problemas em casa para resolver.

Surtei.

Joguei tudo pro alto e disse: Dane-se! Foi nessa hora de euforia e estresse agudo que Belo Desastre voou na minha telinha de computador como num passe de mágica. Eu andava meio numa linha tênue entre dormir a tarde toda, pegar How to Ruin a Summer Vacation da Simone Elkeles para reler ou ficar vadiando na internet em busca de algo que me motivasse a botar a cabeça no lugar e voltar aos estudos. Mas a força com que Belo Desastre me atingiu foi surpreendente. E acabei lendo o livro de uma sentada, como diria alguns literatos. 

Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.



Depois de pouquíssimos livros lidos em 2012 e menos ainda lidos nesse comecinho de 2013, pegar um livro e saboreá-lo até o final em uma única respirada longa foi uma grata surpresa. Aconteceu isso mais recentemente com O Lado Bom da Vida, que depois de ver o filme fiquei tão viciada que li o livro em um dia e meio.

Mas Belo Desastre me surpreendeu de todas as formas. Porque ele encanta, ele instiga, ele provoca. Algumas pessoas provavelmente o detestaram e sempre irão citar dezenas de motivos para o livro ser uma leitura cansativa, mas eu não me foquei nesse ponto de vista. Deixei acontecer, deixei os preconceitos de lado e aproveitei a história de Abby Travis...


De princípio a história da menina meiga, mais preocupada com os estudos e com sua própria vida e do carinha tatuado, fumante e cão de briga de porões parece meio clichê. Na verdade, muito clichê. Mas logo eu notei que tenho um fraco por histórias assim, então deixei rolar. Sussurro, Química Perfeita e Três Metros acima do Céu que o digam...

Abby é uma universitária de pulso firme e decidida a deixar seu passado definitivamente para trás. Ela não está procurando encrencas, sequer está interessada em algum tipo de relacionamento  Mas ela tem sua amiga America (sim, tem a amiga!) que sempre está lhe levando contra a corrente. America namora Shepley, um carinha gente boa que é loucamente apaixonado pela namorada. E Abby acaba ficando por ali, na corda bamba que é a convivência com eles e com seu mundinho particular intocável.


Mas é numa dessas viradas do destino que Abby se depara com Travis Maddox, primo de Shepley, estudante de Direito Criminal e um sujeito que Abby daria tudo para nunca ter cruzado na vida. Porque não basta o cara ter o tipo de um assassino psicopata com aqueles braços cobertos de tatuagem, o cigarro pendurado em sua boca e o fato de tirar sangue de marmanjos alucinados em porões a troco de dinheiro, ele tem que simplesmente ser o pegador oficial da Universidade de Eastern, conhecido principalmente por usar as garotas como os cães usam as cadelas...

- Que foi? Você não acha que um cara cheio de tatuagens e que ganha dinheiro brigando pode ter boas notas? Não estou na faculdade por não ter nada melhor pra fazer.
Mas não é mistério que, de repente, Abby se veja envolvida nas teias de Travis. Tudo começa como amizade, mas as coisas são mais intensas do que aparentam ser.


Abby está lutando contra si mesma. Luta para não se meter em roubadas, luta para manter uma distância segura das infâmias de Travis, luta para que Travis não perceba o quanto ela é uma medrosa estúpida. E em contra partida, Travis está sempre ali, sendo o sujeito charmoso, safado e incrivelmente encantador que tira tona a sanidade da garota. Ele é apenas um pouco possessivo.

E um pouco agressivo.


O fato do casal demorar uma eternidade e meia para começar a pensar e identificar o fato que estão apaixonados é meio cansativo, mas rende boas tiradas. É aí que entra a escrita surpreendente da Jamie McGuire, e onde todo o clichê que tendia a se formar ainda mais, some quase que por completo. Você não espera certas atitudes da Abby, e muito menos, algumas atitudes bem pitorescas de um Travis pegador e canastrão.

- Em primeiro lugar… eu tenho critério, sim. Nunca transei com uma mulher feia. Nunca. Em segundo lugar, eu queria transar com você. Pensei em te jogar no meu sofá de cinquenta maneiras diferentes, mas não fiz isso porque não te vejo mais assim. Não é que eu não me sinta atraído por você, só acho que você é melhor do que isso. […]. Não consigo pensar em um único cara que seja bom o bastante para você.



Talvez seja nesse ponto de subidas e descidas bruscas da história que algumas pessoas tenham feito cara feia. A questão é que ninguém está preparado para um amor tão intenso, tão compulsivo e até mesmo, destrutivo. Mas não me entendam mal, a história do casal está bem longe de ser um drama completo. Os fatos revelam que eles são apenas muito ingênuos em determinadas situações, ou muito cabeça dura em outras.

Abby tenta ser realista, pé no chão, fazer as coisas com cautela e antes de tudo, se proteger. Mas seu passado de desastres e a reviravolta que Travis proporcionou em sua vida lhe deixam confusa. E a última coisa que ela quer é ter de enfrentar seus dias de drama outra vez.


É bem fácil entender porque muitas meninas se apaixonaram loucamente pelo bad boy Travis Maddox. Ele é realmente um encanto, um sufoco para a imaginação e um pecado quando fala. Mas também é bem fácil entender porque muitas pessoas não gostaram muito do livro. Travis é mesmo intenso e em algumas vezes, suas loucuras e seus acessos de raiva chegam a ser cenas absurdas e possessivas. Em algumas coisas dá pra pensar: Opa, esse sujeito precisa de ajuda. Mas depois de alguns momentos você observa e entende o porquê dele chegar àquele ponto. Há uma razão.

Em todo caso, dá pra se deliciar horrores com as incríveis sacadas dele. O cara não deixa passar uma.


O romance é uma montanha russa, e não é uma historinha curta, acontecem muitas coisas e em um espaço pequeno de tempo. Assim, tem que estar ligadinha a todos os detalhes e à alguns fatos para não se perder no rumo. No mais, a leitura é simples, direta, tem momentos hot, e muita coisa hilária também.

Já a capa achei meio estranha para o título e para a história, mas fui entendendo aos poucos. O título Belo Desastre é bem apropriado, e se vocês lerem, vocês logo captarão a essência.

— Eu não fico com medo com frequência — ele disse por fim. — Fiquei com medo naquela manhã, quando acordei e você não estava aqui. Fiquei com medo quando você me largou depois de Las Vegas. Fiquei com medo quando achei que ia ter que contar pro meu pai que o Trent tinha morrido no incêndio. Mas, quando te vi através das chamas no porão... eu fiquei apavorado. Eu
consegui chegar até a porta, estava a menos de um metro da saída, mas não consegui sair. 
— Como assim? Está maluco? — falei, virando a cabeça para olhar em seus olhos.
— Nunca estive tão lúcido na vida. Eu me virei, encontrei o caminho até aquela sala, e você estava lá. Nada mais importava. Eu não sabia se a gente ia conseguir sair dali vivos ou não. Eu só queria estar onde você estivesse, não importa o que isso significasse. A única coisa que eu tenho medo é de viver sem você, Beija-Flor.

Esse livro, na verdade, serviu para eu realmente me encontrar de uma vez nesse caminho literário. Percebi de uma vez por todas que não faço muito o esquema livros meigos, fofos e sutis como são alguns que fazem bastante sucesso por aí. Sim, tem um ou outro na minha lista de preferidos, mas são minoria em relação a esses livros mais adultos, com mais intensidade, pegada e onde os autores realmente soltam o verbo. E Belo Desastre me deixou com um sorriso bobo no final, o que é mesmo incrível. Ah, e foi ideia da Camila, do Vida Complicada Demais, tá? BrigadonaCamila, seus comentários a respeito do livro foram o gás que eu estava precisando para começar a leitura. 

E pra quem curtiu muito a leitura, a autora Jamie McGuire já tem com data marcada o lançamento de Walking Disaster, o livro que conta a história na visão do Travis, o que promete ser muito legal mesmo. Já uma continuação do romance de Abby Travisainda é incerta. Já se ouviu que a autora cortou a possibilidade, mas nunca se sabe, né? Enquanto as editoras estiverem interessadas e enquanto o cash estiver rolando, sempre há uma larga porta aberta...


Pra finalizar, outra notícia muito boa: Tudo indica que a Warner Brothers já adquiriu os direitos do livro para adaptação para o cinema. Só resta ficarmos naquela velha curiosidade: Quem interpretaria Travis Maddox? Principalmente quando é tão difícil levar para as telonas uma imagem que reflita fielmente à descrita no livro. Enfim, só nos resta mesmo esperar...

E depois de ler o livro incansavelmente apenas nesse último fim de semana, acho que não me incomodaria nem um pouco em ter o livrinho bonitinho colorindo a minha estrante (li em ebook). E também não me incomodaria nem um pouco em ter um Travis Maddox fazendo loucuras por mim... 

Bjs, povo!

Imagens: Tumblr

Um comentário:

  1. Post perfeito e traduz tudo que senti ao ler o livro. Belo Desastre ganhou meu coração, pra sempre! <3

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...