Menu

26 março 2014

EU VI #20: Ferrugem e Osso

Após um bom tempo negligenciando os dramas e deixando os romances melosos em segundo plano, me deixei levar esses dias por uma obra interessante do cinema francês que me deixou bem intrigada. Ferrugem e Osso, filme de 2013 e dirigido por Jacques Audiard, tem Marion Cotillard e o novato Matthias Schoenaerts no elenco e mostra uma história de revolta e superação.

A trama é bela, dura e crua e não tem medo de arriscar, loogo vale á penas o tempinho em frente da TV.

Alain (Matthias Schoenaerts) está desempregado e vive com o filho, de apenas cinco anos. Ele parte para a casa da irmã em busca de ajuda e logo consegue um emprego como segurança de boate. Um dia, ao apartar uma confusão, ele conhece Stéphanie (Marion Cotillard), uma bela treinadora de orcas. Alain a leva em casa e deixa seu cartão com ela, caso precise de algum serviço. O que eles não esperavam era que, pouco tempo depois, Stéphanie sofreria um grave acidente que mudaria sua vida para sempre.

Trailer:




Alain é um sujeito à mercê da vida que muito recentemente soube ser pai de um garotinho e agora que a mãe do menino deu no pé, tem mais uma boca pra alimentar. Vive de pequenos serviços e mudou-se para a casa da irmã almejando melhorar de vida. Contudo, não é dos mais responsáveis e essa sua nova missão paterna está lhe tirando o sossego.


Durante um dos serviços como segurança de boate, Alain conhece Stéphanie, uma mulher dona de si o bastante para não precisar de outros lhe ajudando. Mas é numa situação bem constrangedora para ela que a ajuda não cai assim tão mal. Só que ambos não esperam se reencontrar no futuro, um não tão distante onde as coisas estejam bem diferentes.


Stéphanie é uma treinadora de baleias e é feliz fazendo aquilo que ama. talvez por praticar tanto e tanto que ela não se sinta mais propensa ao acaso. Só que o acaso na vida desta mulher dá voltas e voltas e ela não aguenta o infortúnio de seu destino incerto. Eis que um acidente parece botar tudo a perder.


Alain e Stéphanie se reencontram e essa relação parece misteriosa e sofrida demais. Pontos altos para a diva Marion Cotillard que deu um show de interpretação de uma mulher abatida, revoltada e interessantemente confusa. O casal se sai bem na tela e a gente consegue acompanhar momentos realmente lindos deles.


Dá-se a construção de um estranho tipo de relação, onde a amizade parece ser mais forte, embora algo lá no fundo comece a espreitar. E ainda tem todo o emergir da protagonista mediante à sua nova realidade, juntando-se com o fato de seu amigo estar perdido na relação com seu filho pequeno.


Matthias também demonstra muita desenvoltura e para um cara novato (ou com poucos filmes conhecidos no currículo) o peso da responsabilidade parece ser bem maior, o que ele cumpre muito bem. Até porque, preparem-se para cenas de nu frontal dele, tá?


No entanto, enquanto assistia o filme, percebi muitas das sensações vividas pelos protagonistas. O misto de raiva e incerteza, de medo e angústia, de solidão e ansiedade. E o fato de duas pessoas tão opostas acabarem se unindo não me pareceu tão absurdo, apenas pelo fato de que eles se completam. E se você ainda não está conseguindo captar a mensagem, Ferrugem e Osso é um filme profundo, às vezes difícil, às vezes romântico, e outras vezes completamente imprevisível.


As imagens também são belíssimas e a fotografia está impecável. Sem contar os efeitos especias que deram toda a dramaticidade que a situação exigia. Então, se querem um filme doce, diferente e que ilumine seus olhos, esse é uma boa pedida.


Por fim, tenho que dizer que não adianta esperar por um clichê completo aqui. Claro que uma situação ou outra é esperada, mas a forma como a história flui é bem interessante, nos mostrando pontos de vistas diferentes, incrementando o desenrolar da história de um casal problemático com maestria. Ou seja, esse é um filme que não vai direto para aquele lugar comum; podem esperar muitas surpresas e se encantar com a atuação dos atores. 


Por fim, tenho que aceitar que Ferrugem e Osso foi um verdadeiro presente esse ano, porque mesmo tendo ficado curiosa depois de ler a sinopse, bem que eu andei deixando ele pra mais tarde e pra mais tarde e pra mais tarde. Assim, tirem uma horinha livre no fim de semana e deem uma conferida nele porque realmente vale à pena. Filme excelente!

E é só de cinema por hoje.

Bjoks 

Um comentário:

  1. Nossa, não conhecia! Adorei a dica... Fiquei com vontade de ver tb!

    Excelente semana. Beijos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...