Menu

03 abril 2016

STAGE DIVE #1 - Lick, por Kylie Scott

Criei vergonha na cara e finalmente trouxe algo novo de resumo literário pra mostrar pra vocês. Não que minha vida tenha sido limitada à coisas da faculdade e do trabalho, porque bem... Às vezes, é sim, mas num geral eu consigo dar conta de umas horinhas de folga mental e atacar um livrinho desses fofuchos e cheios dos lenga-lenga.

Dessa vez, a agarrada da vez foi a série Stage Dive, da Kylie Scott. Nunca tinha lido nada dessa autora e nunca tinha lido nada sobre estrelas do rock. Mas eis que vem a primeira vez. E pro primeiro livro nessa temática, eu assumo que caí de amores pela escrita da autora.

Let's see...

Acordar em Vegas nunca devia ser assim.
Os planos de Evelyn Thomas para comemorar seu vigésimo primeiro aniversário em Las Vegas eram grandes. Enormes. Mas ela com certeza nunca quis acordar no chão do banheiro com uma ressaca para rivalizar com a peste negra, um muito atraente e seminu homem tatuado, e um diamante no dedo grande o suficiente para assustar King Kong. Agora, se ela pudesse se lembrar de como tudo aconteceu...
Uma coisa é certa, estar casada com o filho favorito do rock and roll com certeza será um passeio selvagem.







Stage Dive é uma série de quatro livros - o que eu acho muito legal, porque não há a necessidade de esgotar a paciência dos leitores com séries sem fim, não é? - que conta a história dos membros da banda de rock Stage Dive e suas aventuras e derrocadas. Os moiçolos David, Jimmy, Mal e Ben estão em uma fase ruim, daquelas que influenciam muitas pisadas de bola e alguns estresses com garotas muito dispostas a cuidar deles.


O primeiro da fila de bad guys atolados na fossa é o David Ferris. O grande poeta, o astro, o inigualável guitarrista da banda. E ele inicia sua história muito de boa na lagoa acordando ao lado de Evelyn, a sujeitinha que abriu os olhos depois de uma ressaca épica sem se lembrar nem uma vírgula de que acabou de se casar com ele. Lindo, né não?

— Espere um minuto — disse ele, olhando para mim com os olhos apertados. — Você está brincando comigo, não é?
— Eu sinto muito.
Ele fisicamente recuou de mim. — Deixe-me ver se entendi, você não lembra de nada?
— Não, — eu disse, engolindo em seco. — O que fizemos ontem à noite?
— Nós nos casamos, porra — ele rosnou.

A história é bem engraçadinha. E digo engraçadinha no nível divertido como numa montanha russa em que você sobe muito, muito alto e depois desce violentamente. Os personagens não bons e acho que a história é bem construída. Dá pra cair de amores reluzentes e cintilantes pela Evelyn e pelo David, sim.


O processo de pega-pega deles é bem divertido também. Vamos ao resumão:

1. Evelyn surta só parcialmente porque está casada. A outra parte fica feliz, porque afinal não é com qualquer um, é com o rico e gostoso David Ferris. Qualquer uma quer estar casada com ele, claro.
2. David surta porque não sabe lidar com uma esposa que sofre de amnésia alcoólica e seu irmão lunático ao mesmo tempo.
3. Ev decide que o melhor é tentar curar a ressaca dando umas boas enroladas de cama com o bonitão do seu marido, mesmo que ela não conheça ele muito bem. Esperta, a menina.
4. O Stage Dive tá por um fiasco já que ninguém se concentra mais em trabalhar, e o vocalista, irmão do David, também conhecido como doente mental e ridículo e muito apetitoso Jimmy Ferris anda ferrando com tudo a sua volta. Perceberam o trocadilho?
5. Aí vem umas boas cenas de suor e movimento horizontal e coisas ditas e não ditas, umas partes um tanto explícitas e mais um pouco de "acho que estou me apaixonando por você" e pronto. A receita está pronta.

O que prende a história é mais a dinâmica verbal da Kylie Scott. Ela é boa, sério. Construiu personagens cheios de sarcasmo e que lutam mais com as línguas afiadas do que com casos inexplicáveis e sem solução. Esqueça o drama, esqueça mocinhas sofredoras e choronas que perdem mais tempo da história com sua luta interior do que decidindo seu futuro. A Ev tem suas dúvidas, claro, mas ela é firme, racional, prática. E além do mais, ela tem o nome do marido tatuado na bunda. Que criatura hoje em dia faz isso???


— Eu nunca pensei que você fosse um idiota, David. — Ou, pelo menos, não exatamente. Um babaca, talvez, e,definitivamente, um ladrão de sutiã, mas não um idiota.

Por fim, vale salientar que Lick traz discussões deliciosas sobre decisões. Isso mesmo. A Ev tem particularmente um futuro nas mãos. Ela vai ser arquiteta. Ela é controlada, organizada, não dá um passo sequer fora do caminho, até que David Ferris e seu olhar mágico acontecem. A vida dela vira de cabeça pra baixo com jornalistas famintos por notícias, fãs enlouquecidos, piriguetes com altas doses de ousadia e um monte de advogados doidos pra ferrar com ela. Não é fácil. A garota, por mais que se sinta atraída pelo mundinho de glamour, está totalmente fora do seu âmbito. 

Além de tudo isso, somos iniciados aos próximos protagonistas da série, Mal, o bateirista doido varrido que nos faz ter crises doentias de riso; Jimmy que é um cachorro sem vergonha perdido no mundo; e Ben, que parece que é o único com um terço de juízo a mais que os outros, porém... Para tudo tem um dia negro. 

E a notícia mais gostosa da vida é que a fofa da Universo dos Livros tá lançando a série por aqui. Editora espera, essa, viu?

Mais pôsteres:





Livro recomendadíssimo. Hora ou outra eu venho aqui bisbilhotar a história do Mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...