Menu

30 janeiro 2017

EU VI #26: Passageiros

Eu estava beeeem curiosa pra ver esse filme com a JLaw e o delicinha do Chris Pratt, ainda mais depois de todas as fotos de premiere que o Chris postou no Instagram. Além de ser uma ficção científica bem diferente, achei massa a ideia do romancezinho no espaço. E aproveitei meus últimos resquícios de férias pra dar uma conferida no bonito.

Durante uma viagem de rotina no espaço, dois passageiros são despertados 90 anos antes do tempo programado, por causa de um mal funcionamento de suas cabines. Sozinhos, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) começam a estreitar o seu relacionamento. Entretanto, a paz é ameaçada quando eles descobrem que a nave está correndo um sério risco e que eles são os únicos capazes de salvar os mais de cinco mil colegas em sono profundo.








 Trailer:


A história não enrola muito e isso ganhou muitos pontos meus porque a última coisa que ando tendo paciência é pra enrolações. Já iniciamos vendo o Jim Preston (Chris Pratt) acordando de seu sono profundo por conta de uma falha mecânica e se deparando com a difícil realidade de que ele está sozinho no espaço. O filme mostra um personagem tentando se adaptar a solidão, a falta de contato humano e principalmente, à falta de relações com as lembranças que ele possuía na terra.

Depois de mais de um ano naquele isolamento forçado, ele chega a beira do desespero. Todos só irão acordar daqui a 90 anos, que é quando a nave que eles se encontram chegará em seu destino final, inclusive a tripulação. Assim, Jim não vê saída a não ser dar cabo de sua própria vida. Mas é numa dessas tentativas que ele encontra a cabine de Aurora Lane (Jennifer Lawrence) e instantaneamente se encanta pela moça.


Achei o personagem do Jim muito legal. Ele passa por muitas dificuldades sozinho e se vê num dilema ao pensar que tem a possibilidade de despertar aquela mulher que tanto lhe cativa. Mas não seria justo privá-la de uma vida, porque ao despertar, ela estaria presa naquela nave tanto quanto ele, e não teria a oportunidade de chegar ao seu destino.


O filme é bem fluído, as coisas acontecem num tempo certo e não tem muito aquele lenga-lenga da gente não saber o que está havendo. Só abre aspas para a tensão final que é o porquê as coisas estão dando tão errado naquela nave.




Se você procura romance, vai achar; um pouco de comédia, é possível; e uma dose bem categórica de ficção científica sem aquela parte de suspense entediante e sem fim. E filmes com o Chris Pratt e a JLaw a gente já sabe que é garantia de sucesso.


Então, corre pra ver o filme que tá tiro-porrada-e-bomba de delicinha pra esse início de ano. 

2 comentários:

  1. Gostei, vou assistir, queria a opinião de alguém que tenho afinidade, pq tinha visto uns comentários falando que era chato e tal, mas, mesmo assim queria ver,e como a gente tem gosto super parecido eu agora vou ver sem medo =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Rita... Talvez pra quem espera uma super ficção científica com coisas mirabolantes e todo um suspense, o filme seja chato sim. Mas eu tenho uma tendência a gostar de filmes- mesmo chatos- com meus artistas prediletos e ultimamente tenho gostado de quase tudo que o Chris Pratt faz. E com a JLaw ainda por cima? Achei o filme mais um romance no espaço do que outra coisa. Se vc for sem grandes expectativas, acredito que se divertirá mais.
      Bjoks! Sempre bom ter vc dando um oi aqui no blog.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...